quarta-feira, 18 de maio de 2016

Estrelas

Três estrelas
que brilham independente
duas aqui
uma acolá
no espaço eternamente
com o brilho da esperança
de quem já brilhou sem elas.

Da primeira estrela
duas estrelinhas surgiram
com o brilho da esperança
de quem brilha com elas.

Estrelas e estrelinhas
juntas sempre estarão
para iluminar o “outono”
com o brilho da esperança
de quem já não brilha sem elas.
Delva Brito

3 comentários:

emanuel moura disse...

Hoje brilha uma estrela que está a ler as minhas palavras ,eu com certeza sinto-me feliz por você estar a postar querida afilhada ,muitos beijinhos no coração.

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Evanir!
Sempre pescando poemas lindos!
Bjm muito fraterno

Pedro Luso disse...

Olá Evanir.
Não conhecia Delva Brito. Gostei deste seu poema. Obrigado por compartir.
Abraços.